27 agosto 2015

BEIJO II

O BEIJO (Paul Éluard)

"Ainda toda quente da roupa tirada
Fechas os olhos e moves-te
Como se move um canto que nasce
Vagamente mas em toda a parte

Perfumada e saborosa
Ultrapassas sem te perder
As fronteiras do teu corpo

Passaste por cima do tempo
Eis-te um novo homem (aldrabado, é "uma nova mulher)
Revelada até ao infinito."

Mais um poema cedido pela minha amiga Pérola


6 comentários:

Goodblog Badblog disse...

Um beijo muito dissimulado, no poema. Se lesse o poema antes de saber o título, não lhe chamaria " beijo", engraçado.

Gostei muito da música e não conhecia.

Margarida disse...

excelente escolha, a da Pérola, e boa ideia a tua de o colocares aqui :)
boa quinta, Francisco.
bjs. :p

No Limite do Oceano disse...

:-) Bonito poema, vejo que a Pérola não está perdida numa concha num oceano...

Francisco disse...

GBBB

Também adorei, imagino essa tua mente ehehehehehehhehehehe

Francisco disse...

Margarida,

Adoro o canto da Pérola :)

Igual para ti ;)

Beijinhos

Francisco disse...

No Limite do Oceano,

Está aqui bem junto de todos nós, à distância de um click :)