14 outubro 2012

Igreja - Xutos & Pontapés "Para ti Maria"

Não é muito difícil de perceber que o 3ºSegredo de Fátima é o "Fim da Igreja Católica", depois dos últimos anos de escândalos atrás de escândalos com pedofilia por parte de padres. O maior Sucesso empresarial dado em Recursos Humanos, era a igreja. Pois só tem 4 hierarquias. Padres, Bispos, Cardeais e um Papa. Este Sucesso cresceu devido às oferendas das pessoas por promessas feitas e que de algumas foram compridas. Também sei uma história de um homem muito rico da aldeia dos meus avós. A promessa consistia em ele doar milhares de contos à igreja, caso a filha sobrevivesse a um cancro. A filha não resistiu, e o pai fez a mesma doação. Para de alguma forma provar que tinha aquele dinheiro para pagar...

Não é preciso fazer muitas contas. Uma vez que nos dias de hoje as pessoas vão à Igreja em 3 situações. Baptizados, Casamentos e Funerais.

Se a igreja, não reformular os seus pensamentos. Hoje em dia com a internet, ninguém precisa que lhes leia a Bíblia em Latim e que façam a tradução que mais entender. Cada vez nasce menos crianças, e as que nascem são de etnias não Católicas. Certo?!

As pessoas casam menos e divorciam-se três meses depois. Casamentos, só um é permitido pela igreja. Salvo as devidas excepções. É uma questão de avançar com dinheiro. Certo?!

Depois resta os funerais onde o estado vai deixar de subsidiar o caixão e os preparativos para o último adeus. Também, isto vai acabar em breve. Não há terra para enterrar tantos mortos. Qualquer dia tem de ser de pé ou cremados. Ups! Não podem ser cremados!!! Sabiam?! Pois, a Bíblia diz que quando o Messias voltar à terra, todos os mortos vão "acordar". Pois é Bebé...

Se a cremação for para a frente. Qualquer dia é mais fácil fazer uma fogueira, aproveitar o momento para cozinhar o pouco da comida que resta e sempre podemos ter LUZ para ler um livro, porque muito boa gente irá estar sem energia eléctrica.

Infelizmente as mentalidades não acompanham as novas tecnologias. Nos dias hoje, se esta crise continuar a aumentar. O que vai acontecer é que daqui a algum tempos(coisa de meses), todos se vão lembrar do "Medina Carreira":

"O que sustenta este país, de não cair na Bancarrota, é a dita Economia Paralela, onde não entra imposto para o Estado"

São as empregadas a dias que não descontam e ganham mais uns trocos; são os explicadores que não passam recibos; é a distribuição de panfletos que não paga impostos; são as pessoas desempregadas que recebem mais um ordenado "por fora"; são os trabalhos de construção civil e dos pequenos arranjos que não passam factura. Já abriram o Jornal do Correio da Manhã. Já viram a quantidade de anúncios para sexo?! Estes, são aqueles que as pessoas colocam em jornal e então e os outros?

Depois temos os "Iluminados" que pensam que o mundo ainda é o mesmo. Acordem para a vida. Nos dias de hoje, acordamos na China e ainda chegamos a tempo para jantar em Lisboa com a Família. São 18 horas de avião. Então!!!!!

De um diálogo entre Colbert e o cardeal Mazarino, durante o reinado de Luís XIV, na peça teatral Le Diable Rouge, de Antoine Rault.

«Colbert: - Para arranjar dinheiro, há um momento em que enganar [o contribuinte] já não é possível. Eu gostaria, Senhor Superintendente, que me explicasse como é possível continuar a gastar quando já se está endividado até ao pescoço...

Mazarino: - Um simples mortal, claro, quando está coberto de dívidas, pode ir parar à prisão. Mas o Estado... é diferente!!! Não se pode mandar o Estado para a prisão. Então, ele continua a endividar-se... Todos os Estados o fazem!

Colbert: - Ah, sim? Mas como faremos isso, se já criámos todos os impostos imagináveis?

Mazarino: - Criando outros.

Colbert: - Mas já não podemos lançar mais impostos sobre os pobres.

Mazarino: - Sim, é impossível.

Colbert: - E sobre os ricos?

Mazarino: - Os ricos também não. Eles parariam de gastar. E um rico que gasta faz viver centenas de pobres?

Colbert: - Então como faremos?

Mazarino: - Colbert! Tu pensas como um queijo, um penico de doente! Há uma quantidade enorme de pessoas entre os ricos e os pobres: as que trabalham sonhando enriquecer, e temendo empobrecer. É sobre essas que devemos lançar mais impostos, cada vez mais, sempre mais! Quanto mais lhes tirarmos, mais elas trabalharão para compensar o que lhes tiramos. Formam um reservatório inesgotável. É a classe média!»

- FÁCIL DE ENTENDER! -

10 comentários:

João Roque disse...

8 posts em dois dias...bates todos os records...

Pedro disse...

Aqui a classe média já foi... Só pobres e poucos - alguns - ricos.
Abraço amigo

Francisco disse...

João Roque,

Tenho consciência que publico alguns, aquilo que me vai na alma :)

A única coisa interessante são mesmo as fotos dos gajos, quanto a posts com algum pensamento, só quando tenho algum "rasgo" no cérebro :)

Abraço amigo e continuação de um Excelente Domingo <

Francisco disse...

Pedro,

Espera até Janeiro de 2013, e vais ver este paíszinho à beira mar plantado....

Só mesmo o Sol, que quando nasce é que é para todos. Vamos ver...

Abraço amigo e continuação de um excelente Domingo

Margarida disse...

passei-me com o que o cardeal disse: as manifestações não servem para nada.
gostava de ver o seu recibo de ordenado, gostava...
bjs.

Arrakis disse...

Adorei o extracto da peça,sempre tão actual. Mais tarde o Lampedusa no 'O Leoprado' disse o mesmo, 'É preciso que algo mude para que tudo fique na mesma'.

Abraço amigo.

um coelho disse...

Estou no último parágrafo. Simplesmente, leste-me a mente.

Francisco disse...

Margarida,

O Cardeal condena as manifestações, mas não condena as pessoas andarem de joelhos em Fátima. Porque depois deixam as moedas nas caixas de esmolas...

Quanto a mim, este senhor deveria apresentar a sua demissão depois de ter proferido o que proferiu...

Beijinhos Grandes

Francisco disse...

Arrakis,

As cartas do baralho são sempre as mesmas... :(

Abraço amigo

Francisco disse...

Um Coelho,

Sentimentos partilhados de quem gosta de viajar e que tem de trabalhar duro...

Abraço amigo