18 dezembro 2013

I wish you - Deolinda "Passou Por Mim e Sorriu"

Eu costumo seguir o canto do "Homem, Homossexual, pai", e por vezes fico na dúvida o que acrescentar ao que já foi dito.
Hoje, pensei e repensei e resolvi escrever alguns desabafos que de alguma forma respondem ao que o Homem/Homossexual/Pai questiona...

Acredito que todos nós, nesta vida temos uma caminhada a fazer...

Se a caminhada fosse tipo autoestrada, também cansava de andarmos sempre para a frente a alta velocidade, só parando em alguma estação de serviço para mijar ou beber um café...

Confesso que quando comecei a viajar, comecei a conhecer novos povos e novas culturas. Sim! Quando sai da terra dos brancos/branquelas(expressão ouvido no metro hoje)
Creio que um homem só se torna num homem, quando perde uma mãe. E, uma mulher, quando perde um pai. Claro que existem sempre uma preferência por um dos progenitores, digam o que disserem. Sim! Os dois podem e fazem muita falta, mas há sempre uma preferência. Se formos honestos, claro que tenho um irmão, um primo/a, tio/a, sobrinho/a preferido/a
Então?!

Não acredito em nada, que dois homens ou duas mulheres ao educarem uma criança, que esta ao crescer possa vir a ser "Gay". E se for?!

Eu nasci em família com pai e mãe heteros, cresci numa família de tios e tias heteros, com avôs e avós heteros. Não conheci nenhum Bisavô ou Bisavó...

Uhmmmmmmmmmmmm!?

Está explicado: Se eu os tivesse conhecido, não seria BI de Bisavô/Bisavó. Pois! Como gosto de homens e de bichas, é o lado masculino e feminino num só gajo. Também tenho o Yang e o Yung... Só não tenho dinheiro na carteira... Olhem lá a minha sorte?!

Creio que o melhor de todos os presentes que possam ser colocados debaixo de uma Árvore de Natal, ou mesmo ao lado do presépio, é a presença de uma família Feliz :D

8 comentários:

Margarida disse...

excelente parágrafo final, Francisco. a família é o mais importante, feliz, que nos ama e nos aceita incondicionalmente.
nestas alturas, natal e páscoa, tenho é muitas saudades das minhas pessoas que já cá não estão. eram elas que viviam verdadeiramente o natal. confesso que não consigo ter o mesmo espírito que elas. mas pronto, pela minha mãe, que só ela mas pedia, irei fazer fatias douradas para a consoada :)
bjs.

Homem, Homossexual e Pai disse...

E você ainda diz que não tinha nada a acrescentar! Esta questão das origens e das preferências é infindável! nunca chegaremos a um consenso penso eu! E eu conheci meu bisavô! rsrsrs

Francisco disse...

Margarida,

Digam o que digam, família é sempre família ;)

Adoro fatias douradas :D

Beijinhos

Francisco disse...

Homem/Homossexual/Pai

:D

Sortudo por teres conhecido um bisavô

Abraço

Namorado disse...

E uma criança será mais feliz, do que num lar que a acolha com dois pais babados? Ou duas mães?

Francisco disse...

Namorado,

Creio que estejas a afirmar :D

Mark disse...

Eu conheci a minha bisavó, que carinhosamente tratava por bivó. Referi-me a ela bastantes vezes no blogue.

Sim, tens toda a razão. Há sempre uma preferência por um dos progenitores. No meu caso, sou chegado à mãe. Nunca fui sentimentalmente muito próximo do pai, embora tenha sido sempre um pai presente e amigo, pelo menos até ao divórcio.

abraço, Francisco. :)

Francisco disse...

Mark,

Tb gostaria de ter conhecido alguns dos meus Bisavôs ou Bisavós ;)

Abraço Mark ;D