11 dezembro 2013

D João V - Haddaway "I miss you"

Quem não conhece a expressão “nem sempre galinha nem sempre rainha”? O que muitos não saberão é que a origem dessa expressão é atribuída ao rei D. João V, conhecido nos manuais da história pelo “Magnânimo” mas também conhecido pelo “Freirático” por causa da sua apetência sexual por freiras.

Ficou célebre o seu tórrido romance com a Madre Paula, do mosteiro de S. Dinis em Odivelas, com quem teve vários filhos, os quais educou esmeradamente, ficando conhecidos pelos Meninos de Palhavã, porque residiam em Palhavã, no Palácio onde actualmente funciona a embaixada de Espanha em Lisboa.

A rainha era austríaca e muito feia, ao contrário do rei que era bem apessoado, talvez por isso o rei procurava outras companhias mais agradáveis. A rainha sentindo-se rejeitada ter-se-à queixado ao padre seu confessor.

Um dia o padre chamou o rei à razão, então o rei ordenou ao cozinheiro que a partir desse dia, o padre passaria a comer todos os dias galinha. Nos primeiros dias o padre até ficou satisfeito e deliciado com o menu. Mas passado três meses o homem andava agoniado e magro que nem um caniço, indo-se queixar ao rei, de que o cozinheiro só lhe dava galinha.

Foi quando o rei com ar de malícia lhe disse.

- Pois é senhor padre! Nem sempre galinha, nem sempre rainha!

18 comentários:

Arrakis disse...

Adorei. Parece um post do Mark XD kidding :)

Sabia dos meninos de Palhavã mas não conhecia os contornos da história que são deliciosos. :D

Abraço amigo Francisco e boa 5ª feira.

Francisco disse...

Arrakis

Desconhecia

:D

Eu só sabia do Rei Dinis que tinha as amantes em Odivelas. Ou seja, sempre que saia de casa a rainha questionava: Ide vê-las?!

Daí aquela zona, chamar-se aos dias de hoje "Odivelas" :D

Abraço amigo Arrakis e boa 5ª feira :D

Ribatejano disse...

Uau... um historiador encontra-se onde menos se espera.

Pelo menos fiquei um pouco menos parvo.

Obrigado stôr.

Margarida disse...

:) e está assim inaugurada uma nova rubrica neste canto. na cama com o rei :D
bjs.

João disse...

E o rei até era bem giro, a julgar pela pintura :P

Abraço :3

João Roque disse...

Fartei-me de rir com o texto e o comentário sobre Odivelas...

Francisco disse...

Ribatejano,

Recebi por email. Parabéns a quem escreveu. Eu só partilhei ;)

Abraço amigo

Francisco disse...

Margarida

ehehehehehhehe

Beijinhos

Francisco disse...

João,

Sempre achei os membros da Casa Real portuguesa, super feios :(

Abraço amigo :3

Francisco disse...

João Roque,

:D

Abraço amigo João

um coelho disse...

Quem diria, um post sem gajos bons e sobre História... é um prazer vir aqui. :D

Francisco disse...

Um Coelho,

Mais umas horitas e já lavas de novo as vistas ;)

Namorado disse...

Olha desconhecia por completo! Adorei :) LOL Gosto de saber estes pormenores históricos :P

Francisco disse...

Namorado,

Tb gosto muito :D

Mark disse...

Um dos meus monarcas favoritos, pese embora tenha sido um perdulário e um fanático religioso. No entanto, quem o conheceu, nomeadamente embaixadores estrangeiros em Lisboa, é unânime ao afirmar que se tratava de um homem extraordinariamente inteligente e perspicaz.

Era absoluto e, como todos os do seu tempo, abusou. Como se disse na época: "se o rei pecou, pecou com o povo", que adorou a imensidão de feriados que D. João V instituiu, reduzindo os dias de trabalho por ano consideravelmente.

abraço, Francisco.

Francisco disse...

Mark.

Sabia disso, já tinha lido algures no teu canto ;)

Abraço amigo Mark

Rúben disse...

Gostei da história! Apenas conhecia uma parte dela!

Abraço;-)

Francisco disse...

Rúben

;)

Abraço :3