21 agosto 2010

El Cóndor Pasa "Musica Instrumental Andina Peruana"

Conforme combinado, lá fui ter a Sintra com a Flor, Gaspar e mais algumas pessoas amigas destes. Acordei cedo esta manhã, pois tinha que estar as 10h30m sem falta sem Sintra. Como não gosto de deixar ninguém à minha espera. Para mim, estar no locar à hora combinada é sinal de respeito e não de desleixo. Faz-me muita confusão, pessoas que por "sistema", chegam sempre atrasadas, mas enfim...

Como é Sábado, lá fui eu ao quiosque de jornais, comprar um jornal, para estar entretido durante a viagem. Na revista do jornal, leio um artigo, onde diz que foi inaugurado em Burgos(norte de Espanha),o Museu da Evolução Natural ou seja da Evolução Humana.

Delicie-me todo com aquele artigo, e já sei onde serão as minhas próximas férias de 4/5 dias. Desde miúdo que adoro passear por locais como Conimbriga ou Foz Côa. Quando coloquei os meus pés em "Ġgantija temples", que fica em Gozo na Ilha de Malta; ou quando estive em "Stonehenge" em Inglaterra; ou quando estive em Efêso na Turquia, ou também quando estive em Petra na Jordânia...

Adoro ver "Pedras". Adoro andar naquelas ruas que outrora foram super movimentadas por pessoas e animais e que agora estão ali, apenas para nos recordarem o passado. Sempre tive uma enorme curiosidade de saber,como as pessoas viviam, como interagiam uns com os outros, quais as suas preocupaçãos...

Para visitar este passado, adoro ir a museus...

Nunca gostei de história, sempre achei uma "seca", saber as datas das descobertas, que rei casou com quem e que descendência deixou...

Mas a realidade é que quando cheguei ao 7º ano, e aprendemos o Paleolitico e o Neolitico, uhauuuuuuuuuuuuuuuuuu. Nunca faltei a nenhuma aula. Hoje foi como recuar no tempo e ao mesmo tempo a alguns lugares onde já estive...

Quando cheguei a Sintra, fui recebido com muito "calor" e um sorriso nos lábios, por parte de todos os presentes. Íamos para a serra de Sintra, estar em contacto com a natureza e íamos todos dar e receber "Amor e Caridade"...

Foi realizado um "mini-workshop", onde a Flor foi a oradora e onde me convidou para ir para o seu lado, uma vez que eu sou o mais leigo nesta matéria.
Sentei-me de pernas cruzadas; fechei os olhos; tentei acertar a respiração com o batimento cardiaco; tentei visualizar as cores dos shakras e depois sentir a energia a surgir nas minhas mãos, como se tivesse com uma bola no meio delas.

A fernanda foi a primeira "cobaia", ela deitou-se e eu coloquei-lhe as minhas mãos na cabeça, depois à medida que ía visualizando as cores, passei as mãos para a zona das "fontes", depois por cima dos olhos, depois para o pescoço, depois no coração, depois na zona do umbigo, nas pernas e nos pés. Pedi-lhe para se virar de costas e o procedimento foi o mesmo. Quando estava a colocar-lhe as mãos perto das ancas, começaram a cair-me lágrimas pelos olhos. Eu estava de olhos fechados e não entendia porque chorava...

Tive de parar, qual a minha surpresa, quando abro os olhos e a Fernanda também estava com lágrimas nos olhos...

Fez-se um longo silêncio e a Flôr perguntou-me:
- Queres fazer uma regressão e entender o porquê?

Acedi de imediato sem qualquer hesitação. Apenas fechei os olhos e deixei-me ir pelas palavras da Flôr...

Recuei e recuei e tornei a recuar, até que começo a ver "tipo" uma tempestade de deserto e eu estou algures numa floresta, que fica algures no meio da Europa, estou numa batalha e reparo num homem que está deitado de costas. Sinto que é meu familiar(não sei o grau de parentesco e isso também não interessa nada). Apenas sei que estava cortado ao meio pela cintura. Quando lhe viro o rosto, vejo e reconheço o rosto da Fernanda.

Podem dizer que é imaginação minha, o que quer que seja. Mas, esta noite vou ter muita coisa para "digerir"...
Nestes últimos dias, não tenho sabido nada do Joseph, ou Hélder ou do Pedro...

2 comentários:

pinguim disse...

Ai que confusão vai na minha cabeça...

Francisco disse...

Pinguin

:D o que eu escrevi no passado :)