22 novembro 2012

Economia - Sara Tavares "Chamar A Música"

Hoje é o Dia da Música, com este era música para toda a vida...
Não importa o que já tentaste e deu errado, não importa o quanto confiaste e bateste com a cabeça na parede, não importa as vezes que destes viagens como perdidas, não importa as vezes que apanhaste chuva pelo caminho, muito menos as vezes que te "partiram" o coração. As coisas acontecem, porque tem de acontecer. Não arrependas de nada, e arrisca todos os dias... tens essa oportunidade, ao contrário dos velhinhos que estão dentro de um lar e sentem-se presos como se estivessem dentro de uma gaiola. Lembra-te que por cada lágrima caída, amanhã darás duas gargalhadas...

As pessoas vão te amar pelo o que És, outras vão te odiar pelo mesmo motivo. Habitua-te a essa ideia, o quanto antes...

O meu amigo António estava inspirado ontem à noite no msn...

Um viajante chega a um hotel para dormir, mas pede para ver o quarto.
Entretanto, entrega ao recepcionista duas notas de 100 euros.
Enquanto o viajante inspecciona os quartos, o gerente do hotel sai a correr com as duas notas de 100€,
e vai à mercearia ao lado pagar uma dívida antiga, ... exactamente de 200 euros.
Surpreendido pelo pagamento inesperado da dívida, o merceeiro aproveita para pagar a um fornecedor uma dívida que tinha há muito... também de 200 euros.
O fornecedor, por sua vez, pega também nas duas notas e corre à farmácia, para liquidar uma dívida que aí tinha de ... 200,00 euros.
O farmacêutico, com as duas notas na mão, corre disparado e vai a uma casa de alterne ali ao lado, liquidar uma dívida com uma prostituta. ... coincidentemente, a dívida era de 200 euros.
A prostituta agradecida, sai com o dinheiro em direcção ao hotel, lugar onde habitualmente levava os seus clientes e que ultimamente não havia pago pelas acomodações.
Valor total da dívida: ... 200 euros.
Ela avisa o gerente que está a pagar a conta e coloca as notas em cima do balcão.
Nesse preciso momento, o viajante retorna do quarto, diz não ser o que esperava, pega nas duas notas de volta, agradece e sai do hotel.
Ninguém ganhou ou gastou um cêntimo, porém agora toda a cidade vive sem dívidas, com o crédito restaurado e começa a ver o futuro com confiança!


MORAL DA HISTÓRIA:

NINGUÉM ENTENDE A ECONOMIA!...

11 comentários:

Pedro disse...

hehe :)
abraço amigo Francisco

Francisco disse...

Pedro

;)

Beijinho na Testa rapaz

Francisco disse...

Pedro

;)

Beijinho na Testa rapaz

João Roque disse...

Entende o Gaspar e a corja que ele comanda; aposto que se ele apanhasse os 200 euros os ia entregar à vaca alemã...

Francisco disse...

João Roque,

Bem que o Gaspar poderia os colocar na minha conta :)

Abraço amigo

P.S - Deste a ideia do próximo post :)

Mark disse...

Gostei bastante das divagações expressas na primeira parte do teu texto. Divagações e conselhos úteis! :)

A parte do viajante, pela maneira como está escrita, relembra-me os casos práticos da faculdade! LOOOL Não consigo explicar bem o motivo, mas mal comecei a ler, associei de imediato! :D


abraço :3

Namorado disse...

Eu não entendo de certeza! LOL

Francisco disse...

Mark

;)

Abraço amigo

Francisco disse...

Namorado,

LOLOL

Abraço

Anónimo disse...

Bons dias!!!
Comentando o caso de economia:
Está toda a gente como estava ao início, ao contrário do que parece, ninguém melhorou!
Se no início o dono do hotel tinha uma dívida de 200€ ao merceeiro também tinha um crédito do mesmo montante da prostituta, ou seja tinha um saldo nulo (zero). No final, e partindo do princípio que não tem mais dívidas nem mais créditos, terá também um saldo nulo!
Abraços
Tiago (lol!)

Francisco disse...

Tiago,

Obrigado pela tua visita e pelo teu comentário...

Pelos vistos todos tinha um crédito a receber e uma débito a pagar. Certo?

Se no final, o lucro é zero. Melhor assim, que prejuízo... Digo eu :)

Abraço