02 novembro 2014

Certezas - Kelly Family "An Angel"

Creio que a Morte, é a única certeza que nós Seres Humanos podemos ter nesta nossa curta passagem por aqui...

De facto alguém disse, um dia seremos todos esquecido. Basta para isso, terem morrido todas as pessoas que um dia tenham-te conhecido.

Tudo o resto o que contarem acerca da tua pessoa, será mera história.

Histórias que se contam, até dizerem que alguém morreu por amor por alguém...

Sempre ouvi dizer, que as pessoas podem morrer quando perdem o "seu mais que tudo"... Linda histórias de Amor...

E, tu por quem morrerias?!

Não estou a dizer, que tu morrerias e que alguém continuava a viver pelo teu sacrifício...

Estou a perguntar: Por quem te deixarias morrer, quando alguém morrer à tua frente?!

Este post parece um pouco tolo e parvo. Tudo indica que a minha mãe morreu, não pelo marido(meu pai); por nenhum filho(estão todos vivos); pelo pai ou mãe(os meus avós já morreram, já faz alguns anitos...). Tudo num espaço de 6 meses...

12 comentários:

Pérola disse...

A morte é a única certeza.

Morreria se assim mo dessem a escolher.

Acho que morreria também por mim, afinal que ando por aqui a fazer?

Beijos

Francisco disse...

Pérola,

Um cliché:

"Aprender, como todos nós"

Beijinhos grandes

Margarida disse...

Francisco, confesso que não percebi o teu texto. Está muito confuso.
Todavia, espero que tenhas tido um bom fim-de-semana :)
bjs.

Francisco disse...

Margarida,

Não escrevo tão bem como tu, sorry ;)

A questão, é se conheces ou já ouviste em falar em histórias: Onde se morre por amor/paixão

Foi fixe e o teu?

beijinhos

Margarida disse...

ah, morrer por paixão. não, não tenho queda para isso :)
fui à terra. vais ler daqui a um bocado o post. estou cansadita e amanhã mais uma semana de trabalho.
bjs.

Francisco disse...

Margarida

Ehehehehhehehe

Vou cuscar e estou a pensar nas 5 palavras ;)

Beijinhos

Namorado P.S. disse...

Acredito que sim. A minha avó deixou-se ir abaixo quando o meu avô morreu. Passado um ano faleceu ela. E vi o que ela sofreu quando viu o "amor da vida dela" partir. Hoje em dia é tudo tão descartável...

Francisco disse...

Namorado,

A minha mãe foi seis meses depois :(

João Roque disse...

Morre-se quando tem que se morrer...

Francisco disse...

João Roque

Há quem lhe chame destino :D

João disse...

Este é um tema que me toca particularmente... Acredito que se morre de amor, de tristeza por amor, de saudade por alguém que já partiu... Quando o Ángel morreu em 2010, eu tive muito tempo a desejar morrer também. No final desse ano, fiquei doente de repente e estive às portas da morte. Eu ia partir feliz e em paz, pois tinha sentido que algo me ia acontecer e tinha estado a tratar de tudo para deixar as pessoas com alguma recordação minha. Acabei por não partir, mas muitas vezes dou comigo a pensar no que seria de mim se tivesse ido. Não me deixaram partir nem naquela altura, nem agora, em Fevereiro deste ano, quando tive problemas ao fazer um exame, que me conduziram a paragens cardio-respiratórias. O bom disto tudo acabou por ser o valorizar mais o dom da vida e tentar passar às pessoas com quem me cruzo a beleza de viver, a beleza do amor, dos restantes sentimentos positivos, das aprendizagens que temos ao sofrer e nas dificuldades...para que quando finalmente me seja aberta a porta para o Outro Mundo, eu parta para nunca mais regressar.

Sempre idealizei morrer pelas pessoas que amo, seria uma forma de mostrar o amor que nutro por elas, mas aos poucos, todas as pessoas que amo vão desaparecendo, até que reste a mais importante de todas: eu próprio.

Abraço amigo com muita força :3

Francisco disse...

João

Obrigado pela tua partilha...

Eu mudei em relação ao aborto(também existe uma morte), quando uma cunhada minha recusou-se a fazê-lo

Hoje tenho um sobrinho lindooooooooooooooooooooo

Grande abraço amigo