24 novembro 2013

Responsabilidade Social 5 - Diva "Amor Errante"

Esta tarde, estava um Sol Lindo, apesar de se sentir o frio à sombra. Pela primeira vez este ano, comi castanhas assadas. Lembro-me que quando era criança, as castanhas eram colocadas em folha de Jornal ou nas folhas das revistas das Páginas Amarelas :D

Depois houve alguém, que disse que a tinta do jornal, era prejudicial para a Saúde. Lá sai uma lei que proíbe o uso de papel já usado com esse mesmo pretexto. Agora usa-se folhas de todas as cores. Que Máximo, que Giro...

Alguém me explica, porque é que as empresas tentam nos convencer para aderir aos Extratos Bancários online e à factura Electrónica, com o Slogan que se preocupam com o Meio Ambiente. Então!? Qual a diferença de uma folha para embrulhar castanhas e uma folha para servir de extrato bancário ou mesmo até uma factura...

Somos todos pelo Meio Ambiente. Digam lá que não é o Máximo e Giro utilizar o termo Meio Ambiente?????!!!!

Agora, o que eu faço com esta folha suja?!

14 comentários:

Ribatejano disse...

Colocas no papelão que será reciclada.

Podes também reutilizá-la noutra função, como pregar partidas ao teu chefe.

loooooooool

Ribatejano disse...

PS: Qualquer dia começam a embrulhar as castanhos no extracto electrónico.

hahaha

Francisco disse...

Ribatejano,

Isso eu já faço com o restante papel, apesar de eu não acreditar muito nisso...

Como se explica, com tanta matéria prima, o papel reciclado continua a ser mais caro que o que não é?!

LOLOLOLOLOLOLOLOL

Claro, as pessoas é pagam a tinta da impressão e as folhas lolololol

Tudo é lucro para as empresas

Abraço amigo

Ribatejano disse...

A reciclagem é um processo mais caro, mas tem o bom de proteger o meio ambiente por não ser preciso madeira para fazer o papel.

As alternativas às vezes acabam por ser mais caras.

Francisco disse...

Ribatejano

Obrigado, pelo esclarecimento.

A minha avó diria: "Vencido, mas não convencido" ;)

Abraço amigo

Margarida disse...

eu reciclo imenso papel. de cada vez que abro a caixa do correio, é recolher folhetos de tudo e de mais alguma coisa. podia colar a etiqueta de publicidade aqui não, mas a verdade é que alguns folhetos são em papel de jornal, o que me dá muito jeito para forrar o caixote dos gatos. e a isso, então, acrescento a dica da semana e a patada ou será a patranha? enfim, o jornal da edilidade. :)
boa semana.
bjs.
ps, este ano, só comi castanhas no magusto organizado pelo serviço. foi simpático :)

Francisco disse...

Margarida,

Eu faço reciclagem de tudo desde criança. Não é que seja mais do que os outros, mas foram as circunstâncias em que vivi.

Em casa da avó, sacos de plástico não entravam. Por dois motivos. Eram caros na altura dos choques petrolíferos nos finais dos anos setenta e princípios dos anos oitenta.

Tudo era queimado na lareira, porque a cinza era utilizada juntamente com o extrume dos animais na agricultura(couves, batata). E, também plástico fazia montes de fumo. Naquela altura não havia Contentores de Lixo. Tudo era deitado numa cova na terra.

Logo, fomos educados a aproveitar todos os recursos. :)

A folha de papel e os papéis de publicidade irão ser utilizados no relevo do presépio ;)

Só depois é que irão para o contentor de reciclagem em Janeiro ;)

Beijinhos

Margarida disse...

sim, a cinza é um bom estrume. no meu caso, as cascas das batatas e os talos das couves eram para os patos :p
na aldeia já havia caixote do lixo, uns pretos, pequenos, mas ficavam sempre vazios e os miúdos usavam-no como cesto de basquete :D bons tempos.
por aqui, não ha presépio e nem farei a árvore este ano, nao tenho muita disposição...
bjs.

Francisco disse...

Margarida,

Bem verdade, a casa da minha avó era um ZOO ao ar vivo :)

Havia de tudo, patos, perus, galinhas, patos, coelhos, porcos, ovelhas, cabras, duas vacas, e duas éguas e um Macho(mistura de cavalo com buro), cães, gatos... Tudo havia, tirando os canários, piriquitos, roxinóis e outras aves de gaiola :)

Beijinhos

P:S - Que Nostalgia :)

Francisco disse...

incluindo as aves de gaiola :)

Ribatejano disse...

Ainda bem que sabem como ainda se vive na parvónia. Infelizmente no caso do lixo parece ser uma cidade grande.

Eu separo o lixo e só não o faço mais a fundo porque acho que o valor que pago todos os meses não compensa o meu esforço. Não é com valores altos que as pessoas abraçam a reciclagem, antes pelo contrário.

Francisco disse...

Ribatejano,

Então não sei LOLOLOLOLOL

Pois :)

Mark disse...

Nunca liguei a castanhas. Como, se tiver de comer, mas dispenso. Quanto aos papéis que nos colocam no correio e afins: a mãe aderiu, por acaso, aos débitos bancários, mas não às facturas electrónicas. Ao que sei, continuam a enviar em suporte papel as respectivas cartas. Paga é pelo banco. É verdade que se trata de um desperdício de papel, mas desperdiça-se tanta coisa...

Aqui em casa não se recicla tanto como se deveria, chiiuuu. LOL Isto não deveria dizer. :D Tenho de aprender e incutir esse hábito na mãe e na Ana.

'Meio Ambiente' é lindo. :DD

abraço, Francisco.

Francisco disse...

Mark,

Isso tens de incutir isso na mãe e na Ana :D

Abraço Mark