11 setembro 2013

11 Setembro (Fim) - Amy Macdonald "An Ordinary Life"

Olhando para trás, apenas posso concluir que ficámos todos mais pobres. Tirando os que ganharam a Lotaria ou o Euromilhões(Não foi o meu caso)...

Recordo-me que em 2001, quando ia a qualquer entrevista, o ordenado rondava os cem e os cento e vinte contos. Nos dias de hoje, entre os 500 e os 600 euros.

Para terem uma ideia, uma café custava 50 escudos, ou seja, 25 cêntimos. Mil escudos, ou seja 5 euros dava para ir almoçar fora com: sopa, prato, sobremesa, bebida e café, ainda ficavam com troco de. O preço rondava os seiscentos e cinquenta, setecentos escudos. Qualquer coisa, como 3 euros e vinte cinco cêntimos, três euros e meio...

Há noite, a entrada de uma discoteca custava mil escudos(5 euros) e era caríssimo. Um depósito de gasolina enchia-se com dois contos. Dez euros...

Desde que entrámos para o Euro, foi um roubo à carteira dos Portugueses, como gente grande.

Não sou velho do Restelo ou Saudosista, mas é triste saber que já fomos ricos. E, que agora o dinheiro nem chega ao final do mês... Falo por mim...

Fim

12 comentários:

Ribatejano disse...

Notou-se efectivamente uma subida de preços mas acho que estaríamos hoje na mesma se ainda tivéssemos escudos na carteira. É a inflação, a subida dos preços do petróleo e derivados, o abandono da agricultura, etc, etc, etc.

Quanto à data, reoordo totalmente o que fiz nesse dia... e já passaram 12 anos.

Francisco disse...

Ribatejano,

Noto uma grande diferença de preços, principalmente na fruta. Um cacho de uvas que compravas por meia dúzia de escudos, custa agora um euro e meio :(

Boa memória ;)

Abraços

Hotei disse...

I so Agree with you Francisco.... Prises go up and wages go down!! stupid!..

Francisco disse...

Hotei

Ya, so true :(

Hugs

Margarida disse...

é verdade. eu entrava na mercearia que existia na minha urbanização, em 2001- mudei de casa, entretanto - e se gastava 500 escudos achava um balúrdio. agora... agora deixo de gorjeta 1 euro à minha cabeleireira e depois penso que são 200 escudos... :|
bjs.

Francisco disse...

Margarida,

Verdadeiros sinais de tempo :)

Beijokas

João Roque disse...

O problema não é o custo das coisas, mas a desproporção entre o aumento dos custos e o bastante menor aumento dos ganhos (excepto para alguns, claro...)

Mark disse...

Bom, Portugal nunca foi um país 'rico', a menos que recuemos séculos e séculos atrás (às épocas de D. Manuel I, D. João III e, mais para cá, D. João V), e mesmo assim...

Já me recordo mal do escudo (ainda me lembro, contudo!). Quanto ao fatídico dia, tenho-o bem vivo na memória. Era pequeno, mas marcou-me de tal forma...

O mundo mudou como se previu. Seguiu-se a 'guerra preventiva' (novo conceito) ao terrorismo, da qual a invasão do Afeganistão e do Iraque são 'belos' exemplos... O mundo ficou ainda mais perigoso.

abraço.

Rúben disse...

Ricos também não podemos dizer que fomos, no entanto é uma realidade que o custo de vida aumentou para caramba!

Eu lembro-me que para mim uma nota de 500 escudos era uma autentica fortuna! Hoje com 2,5€ já não se faz nada!

Enfim! C'est la vie!

Abraço

Francisco disse...

João Roque,

Completamente de acordo e o café, fruta são os maiores exemplos

Abraço

Francisco disse...

Mark,

O mundo anda todo virado ao contrário e cada vez mais perigoso :)

Abraço

Francisco disse...

Rúben,

E, nem queiras saber a festa, quando eu recebia uma nota de vinte, cinquenta, ou mesmo 100 escudos :)

Quinhentos escudos!!! Acho que eram mais vulgares quando tirei a carta...

Dava para colocar gasolina ;)

Abraço