07 junho 2018

"Once upon a time..." - Episódio 595

Filipe vai até à praia sozinho, quer pensar na sua vida.... Deita-se na toalha, coloca os óculos escuros e pensa na sua vida...
Recorda-se de todo o seu passado, das decisões que tomara e que continuou a tomar. A última foi desastrosa, e teve de ir pedir ajuda à filha para poder ir trabalhar num call center... A vida de facto dá muitas voltas... Quem já esteve no topo como director e agora ser assistente de call center a ganhar ordenado mínimo não é fácil...
Outrora foi um gajo que fazia parar o trânsito de Lisboa... Agora, poucos ou quase ninguém lhe pega, nem a pagar... A idade anda para a frente, e os maravilhosos 30 ou 40 anos, já foram há muito... Filipe afastara-se de Miguel e Pedro, começara a ficar farto de putos, com a mania que são divas...
Bruno ainda é o único que vai falando com ele, afinal é tio/padrinho dele... Filipe também se cansara de estar com o sobrinho, que em cada 5 minutos... Francisco vai à tona da conversa...
Francisco foi um homem que Filipe amou... Mas, Filipe naquela altura estava com os olhos em outro/outros. Só Francisco não lhe chegava... Agora recorda-se do que um dia Francisco lhe disse: - "Quem te comeu a carne, que te roa os ossos..."
Filipe pensa em tantos outros gajos bons, que já lhe passaram pelas mãos... E, como não soube apostar no Tiago ou no Hélder... Gajos que também o amaram muito... Hoje Filipe poderia estar muito bem na vida...
Filipe olha para o lado e vê um homem de meia idade enxuto como ele a fazer-lhe sinais... Levanta-se e caminha em direcção à mata mais acima das dunas de areia...
Filipe vem da mata e vai tomar um mergulho...

4 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Maravilhoso, como sempre!!

Beijo e um excelente dia

João Fadário-Belfort disse...

Pode ser que Filipe ainda tenha alguém para passar o resto dos dias... É muito triste essa solidão que ele sente.

Francisco disse...

Cidália Ferreira,

Obrigado :)

Beijos e um excelente dia com chuva :) Dia abençoado ;)

Francisco disse...

João

A solidão que ele sente é igual a tantos outros... Alguns com relações sentem o mesmo... C´est la vie mon ami