26 agosto 2016

Fleurette by Sérgio Tréfaut

"Será que realmente conhecemos a nossa família? Será que a queremos conhecer? Sérgio tenta compreender o passado de sua mãe, Fleurette, de 79 anos. Apesar da sua resistência, pouco a pouco, ao longo do filme, Fleurette vai revelando quase uma outra vida, onde o amor esteve intimamente relacionado com a política. Da França ocupada e da
Alemanha nazi até à ditadura brasileira e à Revolução dos Cravos."

De facto, o que nós conhecemos do outro?! Será que sabemos tudo?! Ou, serão sempre uma caixinha de surpresas?!

Será que tem uma relação, seja ela curta ou longa, sabe de facto com que dorme ou simplesmente partilha a cama?!

Dizem que a vida, aprendemos a conhecer as pessoas com quem nos relacionamos... Será que é assim mesmo como dizem?!

De facto, existem pessoas que se dizem peritas em tirar a "fotografia" do outro. Será que sabem mesmo quem tem à sua frente e muitas vezes ao seu lado?!

De facto, muitas vezes um pequeno sorriso, mostra o quanto se pode estar longe da realidade...

Criticar é fácil, calçar os sapatos dos outros pode ser apertado, fazer o caminho do outro, pode ser cansativo...

E, cada um de nós sabe as dores que sente e o que já viveu...

Partilhar pode ser benéfico e muito gratificante para quem ouve ou fica a conhecer mais um bocadinho...

"To Be Continued"

4 comentários:

No Limite do Oceano disse...

Conhecer alguém não é fácil, conhecer-me ainda pior mas é certo que um sorriso faz maravilhas e o auto-conhecimento é uma auto-estrado com direito a portagens.

Francisco disse...

No Limite do Oceano

Está um verdadeiro poeta ou apaixonado?!

João Fadário disse...

Creio que nem nos conhecemos a nós mesmos completamente, ao longo da vida. Dizer que sabemos tudo sobre o outro ou alguém, é pura ilusão. ;)

Francisco disse...

João Fadário

O Outro Senhor disse uma grande verdade:

"Conhece-te a ti mesmo..."