11 outubro 2015

Activos versus Passivos numa mesa de café - Heart "Alone"

Ontem à tarde, fui beber café com um amigo, conhecido, contacto do manhunt, o que seja. Conheci este moço, deve fazer para aí uns dois a 3 anos, seguramente. Nunca fomos para a cama, porque não sou rede de arrastão lololololololol

Quando nos conhecemos, ele andava a conhecer outros gajos e lá se enroscou com um gajo qualquer e depois desapareceu. Típico nas bichas, quando voltam, também por vezes é sinónimo que ficaram sozinhos. lolololololol

Ao início começa com uma conversa que deu tudo, fez tudo na relação, mas que o outro tinha mau feitio. Não há maus feitios, existem feitios especiais e cada um tem o seu lolololololol Também não me queiram ver do "avesso"...

Adiante...

Eu, que pensava que já tinha visto e ouvido muita coisa. Nunca pensei que as pessoas se sujeitassem tanto para dizerem que são comprometidas. Se eu tivesse ouvido alguém dizer isto... Eu diria: Não exageres?! Agora, quando é na 1ª pessoa?! Dá vontade de dizer: - Já pensaste em ir ao psicólogo?! Se calhar eu é que deveria ir, e não recomendá-lo lolololololololol

Quando eu começo a ouvir isto, nem sei no que estava a ouvir:

Amigo: Sabes Francisco! Quando nós amamos fazemos coisas que não lembra a ninguém... Começamos por sentirmos mais nós. Fogo o gajo fazia me sentir tão passivo. Poucos homens têm essa capacidade. De me fazer querer dar o cu só da forma como falam e me tocam. Adoro que sejam só activos e que as posições na cama sejam sempre bem claras. E adorava quando ele me emprenhava. Sentir o leite dele dentro da minha tripa.

Fracisco: Fodiam sem preservativo?! (Até parecia que eu fui um santo ao longo da minha vida).

Amigo: Claro que sim. Adorava quando ele despejava os tomates bem fundo, eu sentir a esporra e depois ir lá com a boca ao pau molhado. Tudo limpinho. É essa a função de um passivo...

Francisco: Limitava a ouvir, estava incrédulo com o que ouvia...

Amigo: Fiquei tão prenho. Nunca nenhum macho me tinha feito isso. Até me esqueçia que tenho pila. Sim, sei bem o meu papel na cama. Logo da primeira vez encheu-me de leite e marcou logo território. Lembro da sensação de sentir o pau a dilatar o meu cu. De doer. E de me convencer a continuar.

Francisco: És submisso?! Tens prazer na dor?!

Amigo: Lol claro. Sem duvida. Era um óptimo macho activo. Que todos os activos soubessem tratar os passivos assim. Só que ele deveria ter um harém de passivos a querer leite dele. Eu adorava aquele pau grande, não curto paus pequenos, porque não deixam o leite no sítio correcto.

Francisco: Tu aceitaste isso tudo num gajo. Até és novo e giro, podes ter os gajos que quiseres lolololololol

Amigo: Ui!!Para levar leite tem que se saber respeitar o activo. E o cu deve ser tão limpo como uma cona. O activo nem se deve lembrar que sai merda dali. Quando o pau saísse sujo, os passivos deviam levar nos cornos do macho...

Francisco: Isso já é demais não?! Pareces as gajas a falar e a quererem segurar o marido à força toda.

Amigo: Aprendiam logo. Acho que todos gostam. Sim mas essas não é consensual. Não me importo de levar umas palmadas mas há limites. Adoro levar do macho. Faz parte de ser passivo. Comer e calar...

Francisco: Sério?! Estás com a conversa da tanga ou de me levares para a cama...

Amigo: Nada disso! Somos amigos, e eu sempre gostei e respeitei. És um gajo 5 estrelas (modéstia à parte) . Mas, eu que fiz tudo e até aceitei o que ninguém aceitaria, como: Levar chapadas enquanto mamava e que me fez engasgar por diversas vezes, sem pena alguma. A minha recompensa era o cu rebentado a pingar de leite e depois ele dizer: És um bom passivo obediente ao teu macho...

Francisco: Grande história que me contas... Tu aceitaste isso tudo?!

Amigo: Francisco! Eu habituei e comecei a gostar de sentir-me dele e que ele sabia que quando me mandasse ajoelhar para mamar. Eu iria obedecer.Eu não me importava de não ter prazer, bastava ele querer foder e eu não ter vontade, mas vou obedecer. Andava sempre com leite do meu macho na tripa. Aprendi a sentir me inferior e possuído. Uma vez que estava dentro de mim e tinha preguiça de ir ao WC... Adorei as mijadas dele...

Francisco: Estiveste com ele quanto tempo?!

Amigo: 8 meses, pouco tempo, mas muito intenso....

Francisco: Pudera...

Partilhei este post. Porque não entendo como existem pessoas que se deixam subjulgar desta maneira. Uma coisa pode ser uma fantasia ou fetiche. Outra é a completa perda de amor próprio... Que Sociedade é esta?! Onde as pessoas tem tudo, mas no fundo parece que afinal não tem nada.

22 comentários:

Dominus disse...

OMFG! Patologizar os fetiches e desejos alheios é complicado, mas isso é doentio. Esse moço precisa se tratar. Isso nunca foi um relacionamento.

Francisco disse...

Dominus,

O que me faz mais confusão é que é novo, é giro, tem um bom corpo. Tem todos os predicados para ter os gajos que quisesse...

Realmente. há pessoas com muita doideira na cabeça

neko-chan disse...

Uau! O gajo não precisa de um psicólogo, precisa é de um psiquiatra. Onde está o amor próprio? Para mim, sexo é prazer e é para quererem os dois.

Miguel R disse...

Okay, não me querendo armar em púdico, ia morrer de vergonha quando ele começasse com essas descrições gráficas no café se fosse comigo, mas adiante xD.
Ora, pela conversa dele ele parece-me estar em sado maso mais do que outra coisa, parece mesmo conversa de submissos que gostam de ser humilhados. Nem precisa de ser passivo para ser submisso, mas neste caso é aparentemente as duas coisas. Não sei se será uma coisa recorrente ou não só sei que é demasiado extremo pros meus gostos, mas hey, o cu é dele, pode ser que arranje outro macho que lhe dê chapadas e leite xD

Anónimo disse...

Ser bonito ou ter um bom corpo é igual a... NADA! de que vale as horas de ginásio, se nao tem qualquer noção de quem são e para onde vão... mas cada casal define as suas regras...! grande história! Luís Filipe

Francisco disse...

neko.chan

Isso mesmo, onde andará o amor próprio?!

Francisco disse...

Miguel R

Quando vou beber um café com um amigo, não faço juízos de valor...

A vida ensina-nos que quando temos o coração magoado, falamos demasiado...

De facto o cu é dele e a vida também...

Choca-me ver pessoas que perdem a sua identidade em prol de manter um relacionamento, mas lá está... Cada um sabe de si, e Deus de todos

Francisco disse...

Luís Filipe,

Quando as pessoas são feinhas e que ninguém lhes pega (dou descontos), nem todos somos atraentes. De facto se a Beleza Interior é que conta, o efeito da primeira impressão e o Marketing não teriam existido lolololololol

Goodblog Badblog disse...

Miguel, eu diria da outra forma, não precisa ser submisso para ser passivo.

No Limite do Oceano disse...

Um post um pouco badalhoco mas adiante...as pessoas são livres de fazerem o que quiserem, com muito ou pouco amor próprio não interessa, desde que não magoem ninguém, a liberdade existe para algumas coisas...nada me espanta, a sério...

Francisco disse...

GBBB

Desconhecia que existiam activos submisso, desculpa a minha ignorância

Francisco disse...

No Limite do Oceano,

Eu também pensava que não :S

Goodblog Badblog disse...

Esta descrição leva a palavra passivo a um nivel totalmente novo.
Na verdade não tenho pena. O cu e dele e parece ter gozado à brava. A forma e o detalhe com que contou todos os pormenores sem qualquer preconceito, faz-me acreditar que gosta, não de ser passivo, mas de ser submisso.

Goodblog Badblog disse...

Imagino que haja de tudo, Francisco.
Isso sou eu que tenho uma experiência do tamanho de uma ervilha, lol.

Francisco disse...

GBBB

O que me fez confusão foi a subjugação que fez ao namorado, eliminando a sua existência, digo eu... O que resto é cu... cada um tem o seu e faz dele o que quiser :)

Francisco disse...

GBBB

Sim! Há muita gente doida, no meu ponto de vista. Que até admito que quem está mal sou eu lololollol eehehehehheh

Horatius disse...

Bem, cada um faz o que quer com o seu próprio cu... LOL

Francisco disse...

Horatius

Isso mesmo ;)

Mark disse...

Que nojo de conversa.

Francisco disse...

Mark

Uma conversa como tantas outras :D

Abraço amigo

Mark disse...

Digo da parte do teu interlocutor, precisamente pelos motivos que enunciaste: subjuga-se, humilha-se, desrespeita-se. Refere-se a si próprio como um objecto, algo sem valor. De resto, opá, seja feliz, a par de haver aí muita TMI.

Francisco disse...

Mark,

Claro que sim, cada um é como cada qual...

Mas, há muita gente doida por aí

Abraço amigo